10 tendências do e-commerce

14 Jan,2020

Não é novidade que o comércio eletrónico tem ganho cada vez mais adeptos. No entanto, num mundo digital, em constante frenesim e expansão, poderá ser dificil acompanhar as novas tendências. Assim sendo, a DIWA reuniu 10 tendências que precisa de adoptar para continuar a ser um craque de vendas online.

1. Inteligência Artificial e Personalização



A utilização da Inteligência artificial (IA) é uma grande tendência a apostar no universo do e-commerce. Mas de que inteligência estamos a falar? Por Inteligência Artificial referimo-nos à capacidade das máquinas para simular o pensamento humano e a tomada de decisões, de resposta rápida e automática. Esta tendência surgiu essencialmente da necessidade cada vez maior de personalização. Os clientes esperam, cada vez mais, ter uma experiência online personalizada através de recomendações de produtos, merchandising visual, não mostrar conteúdo irrelevante, etc. Tudo isto tendo em conta o rastreamento do seu perfil e das suas preferências enquanto consumidor.


2. M-Commerce: O reinado do mobile


Longe vai o tempo em que o telemóvel era meramente utilizado para chamadas ou até mensagens de texto. Hoje em dia é o nosso melhor amigo e (talvez) o mais multifacetado.



Os dispositivos móveis têm sido o meio mais utilizado para aceder ao online e, como tal, para realizar compras também. Surge assim o mobile commerce ou m-commerce, que diz respeito a todas as transações comerciais de bens e serviços feitas através de dispositivos móveis. Neste sentido, é importante apostar em lojas online responsivas, isto é, totalmente adaptadas aos ecrãs dos nossos smartphones ou tablets. As aplicações são também uma outra forma de fomentar o m-commerce e encontram-se por todo o lado.


3. Social Selling: Likes, seguidores, comentários e... compras



As redes sociais dominam. O seu potencial cliente pode precisamente estar por detrás de um perfil no Instagram, Facebook, etc. Para além de funcionarem como um bom canal para criar engagement e para promover uma boa visão da marca perante o seu público alvo, já permitem também criar posts de compra. O Social Selling é excelente funcionalidade uma vez que diminui a jornada do consumidor que já não precisa de abandonar a rede social para ir até ao nosso website e efetuar a compra, uma vez que o pode fazer diretamente nas lojas disponíveis nas redes sociais.


4. Relevância do Marketing de influenciadores: ”Vi no youtube, vou comprar!”



Influencers, youtubers ou instagramers são as novas denominações a acrescentar ao seu marketing digital. São as chamadas celebridades da internet que possuem um grande número de seguidores e que são capazes de os influenciar a tomar decisões potencialmente importantes. O marketing de influenciadores é uma boa maneira para apresentar a sua marca a um novo público e, sobretudo, para criar confiança, uma vez que o influenciador dispõe já de um certo nível de confiança entre os seus seguidores. As empresas estão assim a associar-se a estes novos agentes de influência para aumentar o reconhecimento das suas marcas, para divulgar os seus produtos/serviços, ganhando leads e convertendo-as em novos clientes.


5. Novas realidades: Aumentada e Virtual

Imagine que numa pesquisa na internet procura por um fato que queria comprar para o casamento de um amigo e surge um que lhe chama à atenção. No entanto, está com algumas dúvidas porque não sabe se lhe assentará conforme deseja. Com a realidade aumentada, passa a ser-lhe possível “experimentar” o fato através do seu telemóvel sem, de facto, o fazer. Poderá até simular cores nas paredes de casa, decorações e, até mesmo, personalizar objetos da forma que preferir.



Isto permitirá personalizar a sua compra e torná-la mais eficiente, uma vez que poderá perceber, já de antemão, se determinado produto corresponde àquilo que exatamente procura e se se enquadra para o fim que idealizou para o mesmo.
Por outro lado, a realidade virtual é aquela que exige o uso de óculos, câmaras e/ou fones e, através dela, somos inseridos num ambiente 3D. Um bom exemplo da utilização desta tecnologia é o famoso jogo do Pokemón Go.
Há previsões de que os mercados de realidade aumentada e virtual cresçam e atinjam valores elevados. Desta forma, é impossível ignorar a sua importância no futuro do comércio eletrónico.


6. Transporte rápido e melhor logística

No final de uma venda, o que realmente pretendemos é a satisfação e lealdade dos nossos clientes. Investir nisso, passa por apostar num fácil e cómodo processo de compra. A estratégia de same day delivery (entrega no mesmo dia) é uma das maiores tendências do e-commerce. Os produtos são entregues no mesmo dia em que é efetuada a compra, o que traz algumas vantagens, como a economia de tempo, aumento da produtividade e fidelização do cliente.



Para o serviço de entregas há também uma outra novidade: drones. Com a sua utilização é possível fazer entregas de encomendas mais leves e até a possibilidade da entrega ser feita diretamente ao cliente, utilizando um GPS pelo smartphone do próprio.
Desta forma, é importante que as empresas apostem numa logística para e-commerce. A organização do stock e a análise do tempo de entrega são exemplos possíveis de avaliar antecipadamente quando se aposta numa logística eficiente.


7. Marketing de conteúdo: O contéudo conta



O conhecimento vende e o entretenimento também. Com o marketing de conteúdo estará a estabelecer e reforçar as suas relações com o público, produzindo contéudos personalizados e interessantes, de acordo com o seu negócio e com o que o seu cliente procura. Os clientes procuram ser entretidos, sentir inspiração e serem informados sobre as suas compras com conteúdo personalizado e direcionado.


8. Criptomoedas

O mercado das criptomoeadas não pará de crescer, sobretudo, o valor de mercado do Bitcoin, a mais famosa das criptomoedas. Este novo modelo traz vantagens para os utilizadores, como o baixo custo de transação, a velocidade de receção e a ampliação de fronteiras devido às transações internacionais.

 
O Facebook já se rendeu a esta tendência e pretende lançar uma nova criptomoeda, a Libra, e uma carteira eletrónica para a guardar, a Calibra. O objetivo passa por processar pagamentos e transferências online a partir de aplicações como o Messenger e o WhatsApp, sem depender dos bancos tradicionais. Com a crescente proliferação de criptomoedas, lança-se a discussão sobre a possível implementação de um e-commerce que recorra a criptomoedas.

9. Omnicanalidade: A fusão do online com o offline

Nos dias de hoje, quando um cliente compra online espera receber os produtos em casa, comprar na loja física um produto em que o stock está alocado à loja online, devolover na loja, descobrir através da loja online qual é a loja física com stock mais próximo e poder encomendar um produto de manhã e no final do dia recolhê-lo na loja mais próxima. Isto é o Omnicanal.



Existe, assim, uma grande necessidade em apostar na ligação do online com offline e em oferecer uma boa experiência em todos os canais, de forma a responder a todas essas expectativas dos clientes
.

10. Voice search?

As pesquisas realizadas por voz são uma realidade cada vez mais frequente. O aumento do uso de assistentes virtuais, como é o caso da SIRI da Apple, gerou uma grande procura de pesquisas por voz. Esta tendência está também a alastrar-se para o e-commerce e requer por parte das empresas uma nova adaptação para que possam ser encontradas facilmente. Aliás, existem já algumas empresas dos EUA que já utilizam tecnologias que permitem a compra de produtos apenas com comandos de voz. O novo desafio acaba então por passar por uma nova otimização do contéudo adequadas às pesquisas de voz, sem esquecer o SEO.